sábado, agosto 29, 2009

Resumo jardim em Agosto de 2009. A minha experiência permacultural e de forest garden

Está a chegar ao fim este primeiro ano de cultivos em solo, e em solo que tem poucas horas de luz directa.
Foi uma experiência muito agradável, aliás tem sido, porque muitas plantas ainda continuam a produzir comida continuamente.

Foi um sucesso plantar aipos em camas de composto, e as alfaces, quando as plantas foram protegidas das lesmas, por barreiras de plástico improvisadas a partir de garrafas cortadas.
Os tomates produziram bem, mas conclui que era preciso tê-los crescido em estacas, pois não produzem tão bem, se forem deixados crescer horizontalmente. Os tomates produzem se tiverem umas 2-3 horas de luz, e se lhes retirarmos os rebentos laterais. Também aprendi a dar-lhes o seu espaço. Podemos colher os frutos meio verdes e amadurecem em casa. Os pepinos derem incrivelmente bem, e devem deixar trepar-se pelos arbustos vizinhos. As vinhas cresceram até 3 metros de extensão e cada planta deu bastantes pepinos. Aprendi que eles devem transplantados quando ainda são pequenos e não se importam com apenas 2-3 horas de luz, desde que haja algum calor. Continuam a produzir sem parar. As courgettes foram das coisas menos productivas. No início as plantas cresceram bem e derem alguns frutos, mas agora, com menos horas de luz, muitos dos frutos não desenvolvem. Asque cultivei num vaso grande, apanharam tb míldio. Portanto, cada planta precisa de imenso espaço (pelo menos um círculo de 2-3 metros) e muito sol.



As abóboras tb tem crescido imenso, com uma extensão de mais de 8 metros! Muito invasivas, convém dar-lhes muito espaço. As plantas convém cortar-lhe os rebentos laterais, especialmente os que crescem no sítio onde surgem os pequenos frutos. Deve deixar-se apenas crescer umas 4-5 ramas laterais. Tb enterrei alguns caules para criar raíz e dar força à vinha. Tenho adubado estas plantas com chá de composto (basta misturar composto com água, esperar uns dias e regar). Os feijões estão a começar a dar flor, tb cresceram mais rama que fruto, devido à sombra, e deviam ter sido estacados, porque no meu caso tem transformado o meu jardim numa selva desorganizada. As ervilhas tb não deram bem. Creio que em primeiro lugar é preciso evitar as lesmas, segundo cultivar em solo solto, rico e húmido, e terceiro tvz o solo não contenha as bactérias fixadoras de nitrogénio, daí as leguminosas produzirem mal no nosso jardim. Ou então é a falta de sol. O que consegui produzir foram lentilhas e feijoes de soja, embora os cultive numa zona com bastante sol e encostados a arbustos vizinhos.



A rúcula deu muito bem, bastam as 2 horas de sol, já à sombra total produzem pouco. Os espinafres produziram mal, devido ao solo muito compactado que tenho e também devido ás lesmas, verdadeiramente um problema. O mesmo problema tive com as chicórias, que a qualquer descuido são comidas por inteiro pelas lesmas! Os pimentos produzem assim assim desde que tendo espaço e o máximo de sol possível. Ainda colhi alguns frutos. O que fica muito bem no jardim são as flores de chaga, que acrescentam agradáveis cores e flores às saladas e ao jardim. As batateiras crescerem bem, apenas não toleram sombra total, mas 2 horas de luz são suficientes; agora talvez não tenham produzido é lá muitos tubérculos. Também creio que deveriam ter mais espaço e terra muito mais solta, provavelmente com folhas secas acrescentadas. Os bróculos foram um sucesso. Produziram bem, continuam a dar, se corto os rebentos. E não apanharam nenhuma praga (para uma planta tão susceptível). Creio que o truque foi ter muitas culturas misturadas e tagetes, e ainda ir regando as plantas com chá de composto. Bastam as 2-3 horas de luz; a planta não se queixa. As folhas da planta servem ainda para a sopa. As acelgas ainda toleram mais. Produzem imensamente bem, com composto e mulching produzem ainda melhor. E até cultivadas numa zona à sombra crescem! Dá para cozinhar uns belos pastéis de acelga!





As beterrabas continuam a crescer e parece prometer uma boa colheita. Parecem gostar de bastante mulching e apreciam que lhes acrescente alguma terra à volta da planta, para proteger as plantas jovens. Os nabos produzem igualmente muito bem, com mulching e até com pouco sol produzem na mesma. Tal como as beterrabas e acelgas toleram o solo compactado, e apenas há que proteger as jovens plantas das lesmas. Temos cozinhado esparregado frequentemente. As couves rábano foram outro sucesso primaveril. Comemos tantas que esgotámos a colheita em poucas semanas. Eram deliciosas! Cresceram bem com 2-3 horas de luz, e em camas cheias de composto, embora em solo normal tb produziram. Atenção especial é proteger das lesmas enquanto as plantas se desenvolvem. Os rabanetes produziram melhor na Primavera. Têm que ter espaço para crescer ou se não espigam. Um outro requiremento é solo rico, algum mulching e algum sol é preferível. Experimentei cultivar plantas na sombra mas apenas produzem rama. Tal como os nabos e as couves rábano apreciam solo rico em composto. Os tupinampos (artichokes de jerusalém) cresceram bem, até um metro de altura, sem qualquer cuidado, sem composto, nem grande sol, tolerando imenso falta de rega, e basta saber se produziram muitos tubérculos ou não. O Yacon tb cresce imenso, já tem quase 2 metros de altura em apenas 4 meses. É uma planta imponente. Sei que a planta demora tempo a produzir a raíz, e é perene, embora não tolere o frio.



Outra planta que cresceu excessivamente bem foi o good king henry, um substítuto do espinafre e como é superior, não tem nenhuma praga (nem lesmas), e é muito tolerante de qualquer situação! Outro substítuto dos espinafres que temos são as urtigas, que nem me dou ao trabalho de as cultivar porque são ervas daninhas! Duas outras colheiras que cresceram bem, e tolerando a sombra, foram os Chinese artichokes e o skirret. As tiger nuts também crescem bem sem qualquer cuidado, crescem tb na sombra embora um pouco de sol seja melhor. Para todas estas culturas, ainda não sei quantas raízes e tubérculos produzi. Outras culturas que introduzi e ainda estou a experimentar é a batata-doce, que cresce bem mesmo sem grande sol, embora goste de calor, e o rábano, que cresce invasivamente, inclusivé à sombra, tolerando pouca humidade. Outra experimentação, e crescendo perfeitamente à sombra é o taro, uma planta tropical. Parece e é uma planta de interior, portanto não tolera o frio, e aprecia humidade. Os alhos estão a começar a crescer, único requiremento é não regar muito e basta algum sol.



Quanto às ervas, a salsa e os coentros crescem bem, embora exigem muito cuidado com as lesmas! O cebolinho cresce bem, mas exige atenção para não secar nem ficar encharcado, e cresce com alguma lentidão. A lucialima morreu, não sei porque. Mas a erva-príncipe deu espectacularmente bem, mesmo estando à sombra; está em vaso cheio de composto e mulching e só requer que haja algum calor. Outra planta muito fácil de crescer, é o gengibre, tb só requer algum calor, e adora solo solto e com composto. Crescendo muito bem está a erva cidreira! A menta cresce mais ou menos, talvez precisasse de mais composto e solo solto e húmido. A salvia tb cresce muito bem e rápido, até cobrindo as plantas vizinhas! Só requer pelo menos um pouco de sol e não gosta de excesso de humidade. Duas plantas que não consegui crescer foram o morangueiro espinafre e bergamota, porcausa das lesmas! Os morangueiros produziram pouco fruto devido à falta de sol. As framboesas produziram algum fruto. Temos tb um mirtilo que cresce bem, mas não deu fruto, em solo cheio de composto e agulhas de pinheiro para acidificar este. Neste momento estámos tb a crescer millet e quinoa como experiência. Coisas que aprendi são que diversidade e mistura no jardim é um ponto extremamente positivo; assim como não deixar o solo nú, e adicionar camas de composto e mulching; necessitando então de regar pouco.

1 comentário:

Martius disse...

Eu aqui no Brasil, achei lindas as suas verduras e muito legais as fotos!!! Eu gostei muito dos seus comentários. São simples e você fala com prazer de cada uma das plantas como se fossem vizinhos recém-chegados!

Aos poucos, a idéia de ter um pequeno espaço de terra e cultivar nela está amadurecendo em mim.

Espero poder um dia ter o prazer desta experiência única que nos relata.

Muitas felicidades!
Martius, Rio de Janeiro.